NOTÍCIAS

Presidente Milton R. da Silva concede entrevista sobre a sua gestão e o novo direcionamento dado pelo Executivo Municipal.

27 de AGOSTO de 2013 às 11:54
Foto: Assessoria Câmara

Assessoria CM - Qual a sua visão sobre os acontecimentos políticos recentes em Rio Bonito do Iguaçu?

As coisas ainda estão acontecendo, e é claro que estamos vivendo um novo tempo na política municipal, onde as figuras políticas estão surgindo e outras sendo esquecidas, isso não é nada mais, nada menos, que a mais pura vontade do eleitor, foi dado um basta no sistema político ultrapassado e vingativo que somente beneficiava poucas pessoas, portanto, estamos vivendo uma evolução que pode trazer sofrimento agora, mas no futuro próximo vai se mostrar uma grande vitória.

 Assessoria CM - Você teve alguma influencia nessa mudança?

Somente o tempo vai responder corretamente, mas certamente todos os políticos atuais influenciaram o nascimento dessa nova política, pessoalmente posso dizer que muitos duvidaram da minha forma de conduzir a Câmara, pois venho debaixo da lona preta dos acampamentos de sem terra, sou de origem simples, mas superei tudo com esforço e dignidade. Alguns ainda não aceitaram que aquelas mobilizações que participei no passado eram parte importante de uma luta social que trouxe muitas conquistas importantes e trará benefícios para as gerações futuras de todo o país, diante disso, penso que de alguma forma ajudei nessa mudança, talvez emprestando essa visão revolucionária que a minha história de vida me deu.

Assessoria CM - Este é o seu segundo mandato como Vereador, e a primeira vez como Presidente, essa experiência te proporcionou uma indiscutível maturidade política, mas anteriormente muitos políticos tiveram essa mesma oportunidade, mas não conseguiram se destacar, o que faz essa diferença?

Sem dúvida, aprendi muita coisa durante este período, principalmente a ficar em silêncio, e por isso agradeço a confiança dos meus eleitores e sobretudo dos meus amigos Vereadores da oposição que acreditaram em mim. Pois somente com a presidência da Câmara de Vereadores, veio a oportunidade de ser ouvido por todos os setores da sociedade e mostrar quem realmente sou, o que penso e como posso resolver as coisas.

Eu aprendi a crescer em momento difíceis, então posso afirmar que tive a chance de consertar algumas coisas e foi justamente na dificuldade financeira e patrimonial, que se encontrava a Câmara quando eu assumi como Presidente, mas principalmente na total descredibilidade que se achava o poder legislativo e a classe política após as eleições de 2012, foram nestes pontos que me dediquei e felizmente consegui gerir as pessoas e os recursos públicos da forma certa.

Assessoria CM - Sua gestão como Presidente é sempre comentada como exemplar, qual o segredo?

Não existe segredo, somente procuro evitar os erros dos outros que ocuparam o meu lugar, não faço nada sozinho, eu tenho uma equipe incrível que me dá suporte, e sempre converso com os Vereadores de oposição que me aconselham, de resto procuro conduzir democraticamente, mas essa é somente a minha obrigação, não é nada demais, ou pelo menos não deveria ser.

Assessoria CM - Quanto a crise que atingiu a administração municipal, levando o poder executivo a fazer cortes drásticos, qual a sua opinião sobre esses eventos?

A crise na administração municipal já estava desenhada desde o início do mandato do Prefeito, pois, atrás de um grande administrador existe uma grande equipe composta por secretários e assessores, baseada em confiança, experiência, respeito, lealdade e dedicação. Não acredito que seja a minha função apontar os erros cometidos, talvez seja minha obrigação ajudar no que puder para salvar a situação.

É fácil ver que a crise não é somente financeira, mas também política, uma falência generalizada num sistema que não merece nenhum aplauso, mas trouxe um sentimento de alivio na população que estava cansada de perseguições, deslealdades e vinganças, que colocam os interesses do povo em segundo ou terceiro plano.

Assessoria CM - Qual a sua perspectiva para a solução da crise financeira da administração

Não tenho acesso aos dados financeiros do Município, por isso é até difícil falar, mas pelo o que eu tenho acompanhado as coisas não estão bem e me trazem muita preocupação, por esse motivo decidi vir a público pedir para a população que esqueça as divergência políticas, que supere as diferenças e ajude nosso município, pois se ele for mal, nós também vamos mal, pois a crise que enfrentamos é grave e somente com a compreensão e ajuda de todos poderemos superar.

Não pense que é fácil para mim pedir isso para as pessoas, sou oposição e se a administração for mal, me bastava assistir e esperar, mas isso seria covarde e medíocre da minha parte, vejo que a crise atinge a todos. E por esse motivo peço novamente aos munícipes que ajudem, seja fiscalizando, seja dando sugestões, apontando o que está errado ou até mesmo criticando, não desanime frente as dificuldades, não pensem em ir embora, ou mandar seus filhos para outras cidades trabalhar, não desistam de Rio Bonito do Iguaçu.

Eu peço encarecidamente que dêem um voto de confiança para nossa terra, e que continuem acreditando que esse é um dos melhores lugares do mundo para ver nossos filhos crescendo. Eu acredito que logo a crise vai passar e serão gerados novos empregos e que vamos continuar crescendo na agricultura e na produção leiteira. Eu confio que as coisas vão melhorar.

Assessoria CM - Você pertence a oposição, este seu ato pode ser compreendido como apoio a administração municipal?

Minhas ações como Presidente muitas vezes foram questionados e colocados em dúvida, inclusive por pessoas próximas ao meu lado, e que nunca entenderam que eu sou o chefe do legislativo de todo o Município e não somente de um grupo, essas pessoas se mostraram estar erradas e algumas delas sequer entendem a responsabilidade de ocupar o cargo de Presidente, por esse motivo não posso ter receio de críticas, pelo contrário, jamais pensei em desferir um golpe de misericórdia quando se agravou a situação da administração municipal ou acabar de destruir os grupos que compõem ela.

Eu darei todo o apoio para o que for bom para o povo, nunca fui contra o que era justo e nunca irei. A coisa certa a ser feita agora é superar as diferenças e colaborar com a administração para que os agricultores tenham o pacote agrícola, o calcário, a patrulha na comunidade, estradas, fazendo com que o dinheiro circule no comércio local.

Assessoria CM - Então o que o Prefeito precisar você vai ser favorável?

Não, o que na minha visão estiver certo terá minha concordância e aproveito para dar um aviso a quem quiser ouvir enquanto eu acreditar que existe boa vontade na administração municipal, vou dar tudo de mim, mas se eu perceber maldade ou deslealdade vou reagir a altura, porque estou deixando de atender da forma adequada até mesmo os meus próprios eleitores, sobretudo os da minha comunidade, os afazeres são muitos e os compromissos são diários, por isso tive que mudar minha rotina, mas tenho certeza que eles entendem que estou trabalhando para um bem maior, mas mesmo assim estou falhando com quem eu não poderia falhar. Se eu tivesse que me preocupar somente com os meus eleitores, as coisas seriam bem mais fáceis, mas não é essa atualmente a minha função.

Assessoria CM - Algo que queira dizer para finalizar?

Sim, peço mais uma vez que a população ajude no que puder e que tenha um pouco de paciência, esqueça as siglas partidárias e as divergências e colabore com o Município, eu acredito em Rio Bonito do Iguaçu e não podemos desistir ou se abater com a crise. Desejo a todos um ótimo dia.


250 Visitas